Infraestrutura

Localização

O Porto do Itaqui está situado na cidade de São Luis no Estado do Maranhão, na baía de São Marcos e a 11 km do centro da cidade. O Itaqui tem uma posição estratégica na região nordeste, localizado próximo aos mercados da Europa, América do Norte e Canal do Panamá.

Latitude 02°34,6'S - Longitude 44°22,2'W

Área de Influência

A região potencialmente influenciada pela atividade portuária considera a bacia hidrográfica do Itaqui e do Bacanga, junto às principais ligações fluviais com o Porto do Itaqui, abrangendo os rios Grajaú, Pindaré, Mearim e dos Cachorros, bem como a plataforma continental adjacente ao município de São Luís. No contexto socioeconômico, compreende o estado do Maranhão, 77% das exportações do estado do Tocantins, 89% das exportações do estado do Piauí, 54% das exportações do agronegócio do Mapitoba (Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia), 660 mil toneladas de grãos provenientes do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Pará.

Acesso ao Porto

Rodoviário:

Pelas rodovias BR-135 e BR-222 que se conecta a outras rodovias federais (BR 316, BR 230, BR 226 e BR 010) e estaduais (MA 230) para todo o Norte e Sul do país.

Ferroviário:

O sistema ferroviário do Maranhão é composto pela Estrada de Ferro Carajás - EFC com 892 km (em duplicação), Ferrovia Norte-Sul - FNS 215 km (em expansão) e Companhia Ferroviária do Nordeste - CFN.

Marítimo:

O acesso hidroviário não conta com a formação de barra, tem aproximadamente 55 milhas náuticas de extensão na direção sul-sudoeste, a largura do canal em quase toda a extensão é de 1.000 metros, exceto em alguns poucos trechos, nos quais mede 500 metros, profundidade natural mínima de 23 metros.

Área do Porto Organizado

A área do Porto Organizado do Itaqui está definida pelo Decreto de 25 de julho de 2005 e é constituída:

I – pelas instalações portuárias terrestres e marítimas, delimitadas pela poligonal definida pelos pontos de coordenadas geográficas constantes no Quadro 1, abrangendo todos os cais, docas, pontes, píeres de atracação e de acostagem, armazéns, silos, rampas ro-ro, pátios, edificações em geral, vias internas de circulação rodoviária e ferroviária e, ainda, os terrenos ao longo dessas faixas marginais e em suas adjacências, pertencentes à União, incorporados ou não ao patrimônio do Porto do Itaqui ou sob sua guarda e responsabilidade; e

II – pela infraestrutura de proteção e acesso aquaviário, tais como áreas de fundeio, bacias de evolução, canal de acesso e áreas adjacentes a estes, até as margens das instalações terrestres do Porto Organizado existentes ou que venham a ser construídas e mantidas pela Administração do Porto ou por outro órgão do Poder Público.


Quadro 1 - Coordenadas Geográficas da Área do Porto Organizado do Itaqui


Pontos Latitude Longitude
M01 2º34’58,4"S 44º22’07,0"W
M02 2º34’35,7"S 44º22’10,8"W
PT A’ 2º34’12,0"S 44º22’46,7"W
PT A 2º34’04,2"S 44º22’29,1"W
PT B 2º33’59,7"S 44º22’26,8"W
M F 2º33’41,8"S 2º33’41,8"S
MG 2º34’10,1"S 44º21’26,5"W
PT 6 2º34’36,4"S 44º21’50,7"W
PT H 2º37’06,2"S 44º21’25,6"W
PT J 2º37’09,5"S 44º21’45,1"W

O porto possui uma extensa área que está sob responsabilidade, administração e exploração da Empresa Maranhense de Administração Portuária - EMAP. A poligonal do porto compreende uma área aproximada de 5,1 milhões de metros quadrados, dos quais cerca de 40% está sobre terra firme e 60% sobre a água.

Históricos dos Berços

As instalações de atracação e acostagem do Porto do Itaqui compreendem seis berços de cais acostável (100, 101, 102, 103, 104 e 105), um píer petroleiro (106) e encontra-se em construção um novo píer petroleiro (108). Segue abaixo as características e produtos movimentados em cada estrutura marítima.

Berço 100

O berço 100 foi inaugurado em dezembro de 2012. Este berço é multiuso e movimenta as seguintes cargas: arroz, trigo, carvão, celulose, clínquer, escória de cimento, carga geral, container, animais vivo e fertilizante.

Berço 101

O berço 101 iniciou suas operações 1972. Este berço é multiuso e movimenta as seguintes cargas: arroz, trigo, carvão, manganês, celulose, coque, escória de cimento, ferro gusa, fertilizante e carga geral. Em outubro de 2012 foi realizada uma reforma estrutural do berço.

Berço 102

O berço 102 iniciou suas operações também em 1972. Este berço é multiuso, com prioridade para os navios conteneiros e os navios metaneiros que tansportam GLP para abastecer a região. Além de movimentar as seguintes cargas: arroz, trigo, clinquer, manganês, escória de cimento, ferro gusa, fertilizante, carga geral, dormente, trilhos e passageiros. Em agosto de 2010 foi realizada uma reforma estrutural do berço.

Berço 103

O berço 103 iniciou suas operações em 1976. Este berço é multiuso, mas foi preparado para atender a primeira fase do Projeto Tegram, que iniciou operação em 2014 e movimentara 5 milhões de toneladas de grãos nesta primeira etapa. Pelo berço estão sendo movimentadas as seguintes cargas: Soja, milho, farelo de soja, celulose, escória de cimento, fertilizantes, equipamentos ferroviários e carga geral.

Berço 104

O berço 104 iniciou suas operações em 1994. Este berço é multiuso, mas atualmente está dedicada a movimentação de granéis líquidos como derivados de petróleo (Álcool, gasolina, QAV, diesel e MGO) e químicos (soda cáustica). Além de poder movimentar graneis sólidos.

Berço 105

O berço 105 iniciou suas operações também em 1994. Este berço é multiuso, mas está atualmente dedicada a movimentação de grãos (soja, farelo de soja e milho), concentrado de cobre, manganês e ferro gusa.

Berço 106

O píer 106 iniciou suas operações em 1999. Este píer é dedicado à movimentação de derivados de petróleo (Álcool, gasolina, QAV, diesel e MGO).

Caracteristicas dos Berços

BERÇO COMPRIMENTO LARGURA PROFUNDIDADE DWT (ton) CALADO MÁXIMO BOCA MÁXIMA
100 320m 40m 15,00m 100.000 14,50m 40m
101 223m 26m 12,00m 80.000 11,50m 40m
102 223m 26m 12,00m 80.000 11,50m 40m
103 270m 35m 15,00m 100.000 14,50m 40m
104 200m 26,5m 13,00m 80.000 12,50m 40m
105 280m 26,5m 18,00m 150.000 17,50m 45m
106 420m 60m 19,00m 155.000 18,50m 50m

As características dos berços estão de acordo com a Portaria Nº 52/CPMA de 14 de Julho de 2015 da Marinha do Brasil.

Tabela 1 - Histórico de movimentação do Porto do Itaqui a partir de 2004.

Ano Movimentação de Carga (t)
2004 12.592.881
2005 11.625.960
2006 12.529.341
2007 12.988.494
2008 13.315.546
2009* 11.546.225
2010 12.672.799
2011 14.001.748
2012 15.753.757
2013 15.310.430
2014 18.029,144
BERÇO CARGA MÁXIMA ADMISSÍVEL
100 10 tf/m²
101 5 tf/m²
102 5 tf/m²
103 5 tf/m²
104 5 tf/m²
105 5 tf/m²
106 5 tf/m²

Histórico da Movimentação de Cargas

As instalações de atracação e acostagem do Porto do Itaqui compreendem seis berços de cais acostável (100, 101, 102, 103, 104 e 105), um píer petroleiro (106) e encontra-se em construção um novo píer petroleiro (108). Segue abaixo as características e produtos movimentados em cada estrutura marítima.

Tabela 1 - Histórico de movimentação do Porto do Itaqui a partir de 2004

2004 12.592.881
2005 11.625.960
2006 12.529.341
2007 12.988.494
2008 13.315.546
2009 11.546.225
2010 12.672.799
2011 14.001.748
2012 15.753.757
2013 15.310.430
2014 18.029,144