Histórico

Histórico

Porto do Itaqui em 1970

A área onde atualmente está localizado o Porto do Itaqui já era conhecida como ponto de fundeio de embarcações antes do século XIX. A primeira tentativa de construir um grande porto na área do Itaqui foi em 1918, quando o Governo do Maranhão deu concessão de obras à companhia inglesa C.H. Walker & Co. Limited, porém a companhia não obteve êxito e a concessão foi extinta Antes do século XIX a área do Porto do Itaqui já era utilizada como ponto de fundeio de embarcações, mas o marco histórico para a construção de um porto no local se deu em 1918, quando o Governo do Maranhão autorizou a companhia inglesa S.H.Walker & Co. Limited a realizar as obras. Como a empresa não obteve sucesso no empreendimento, a concessão foi extinta.


Em 1939 iniciaram os estudos técnicos pelo Departamento Nacional de Portos, Rios e Canais- DNPRC para a construção do Porto do Itaqui. As obras foram iniciadas em 1966 com a construção do berço 102 e prosseguiram até 1972. Em 1976 foram concluídos os trechos dos berços 101 e 103. Em 1994, a extensão do cais foi ampliada com a construção dos berços 104 e 105. Em 1999, foram realizadas as obras do berço 106. Com 420m de extensão, esse berço permite a atracação de navios de até 200.000 DWT. De 1973 até 2001, o Porto do Itaqui foi administrado pela Companhia Docas do Maranhão (Codomar), subordinada ao governo federal.


Em 1° de fevereiro de 2001, através do Convênio de Delegação n° 016/00 assinado entre o Ministério dos Transportes e o Governo do Estado do Maranhão, o Porto do Itaqui passou a ser gerenciado pela Empresa Maranhense de Administração Portuária - EMAP. A empresa vem, desde então, dedicando-se à missão de adequar a gestão do porto no sentido de suportar o crescimento do estado e das regiões vizinhas que estão sob a sua influência.


A EMAP tem como projeto colocar o Porto do Itaqui entre os 10 mais importantes do mundo. Outra recente conquista foi à criação, em 2011, de uma linha regular de contêiner, com movimentação de 10 mil contêineres/ano de ferro níquel. Os berços 101 e 102 tiveram suas estruturas ampliadas e melhoradas. Refletindo ainda mais eficiência e produtividade nas operações portuárias.


Porto do Itaqui em 2012

Em 2012, dando continuidade às ações de expansão da infraestrutura portuária, a EMAP inaugurou o berço 100. Outro projeto concretizado e que utilizará, em uma segunda etapa, a estrutura do berço 100, é o TEGRAM -Terminal de Grãos do Maranhão, com capacidade para operar até 10 milhões de toneladas/ano quando em pleno funcionamento. Ainda no ano de 2012, foi iniciada a construção do berço 108 dedicado à movimentação de derivados de petróleo, que atualmente respondem por mais da metade das 14 milhões de toneladas/ano operadas no Itaqui pelo berço 106.

Porto do Itaqui em 2013 Porto do Itaqui em 2016

O negócio


O Porto do Itaqui, juntamente com os terminais privados da Vale e Alumar, integra o segundo maior complexo portuário em movimentação de carga do país. O Itaqui é o principal indutor do desenvolvimento econômico e social do Maranhão, que tem grandes investimentos previstos para os próximos anos em áreas como refino de petróleo, agronegócio, celulose e pellets, cimento, geração de energia, entre outros.


Com uma gestão empreendedora e sustentável, a Empresa Maranhense de Administração Portuária - EMAP está focada no potencial humano e na valorização das práticas de desenvolvimento econômico, ambiental e social.


Em relação aos demais portos brasileiros, o Porto do Itaqui é o que apresenta o melhor custo-benefício para os mercados nacional e internacional.


Integrado diretamente a ferrovias e rodovias, o Porto do Itaqui tem vantagens econômicas exclusivas a produtores do eixo Centro-Norte, que gastam menos e ganham mais, usando o Itaqui como corredor de escoamento.


Em comparação com portos do Sudeste do Brasil são economizados até sete dias de viagem para os maiores portos do mundo, como exemplo a rota Itaqui-Roterdã, percorrida em apenas 10 dias.


A ampliação do Canal do Panamá também colocará o Porto do Itaqui como excelente ponto de partida e chegada para os mercados asiáticos